Quanto custa manter um carro popular?

Crédito Foto: Divulgação.

O carro faz parte da vida das pessoas. Aquele que já tem um, vive buscando condições para fazer a troca por um modelo mais novo ou diferente. Aquele que não tem, busca fazer economias para conseguir alcançar o objetivo de ter a liberdade de ir e vir, na hora que quiser. Seja um carro seminovo, usado ou até mesmo novo, eles estão na lista de prioridades na vida das pessoas.

O carro é quase um membro da família. Ao pensar em adquiri esse bem durável, é preciso levar em consideração que sempre existirão os gastos. É preciso abastecer, pagar os impostos, pagar o seguro, fazer a manutenção. Ao pensar em um carro é necessário entender que ele gera custos e que nem sempre são tão baixos.

Mas diante deste cenário de tantos gastos, é possível pensar em ter um veículo próprio? Sim, é possível, só é preciso planejamento para comprar, manter e vender este carro. Pensar em vender é fundamental, porque o carro não é eterno e como todo bom consumidor, a cada nova compra, surge um novo desejo de progredir e trocar por outro modelo ainda melhor.

Pensando nestes custos, o carro popular seria a melhor solução para este problema? Nem sempre, já que nem todo carro popular é tão barato para manter, e nem todos eles são tão bons de revenda. É preciso pensar na utilidade do veículo e como fazer isso de forma consciente para evitar desperdícios.

Gastos mensais de um carro

Quando pensar em comprar um carro zero quilômetro é sempre importante levar em consideração o fato de que este veículo precisa ser emplacado, documentado, que ele precisa ser assegurado. Um carro é um bem caro, talvez gaste todas as suas economias para comprar esse veículo e por isso, seria uma loucura não garantir que você não perca tudo, só para economizar no seguro.

Então, só para tirar um carro zero da concessionária você precisa pagar o veículo, o IPVA, o DPVAT, o licenciamento e o emplacamento. Lembrando, todas estas taxas e impostos são à vista. Depois você precisa abastecer o carro e cuidar com a manutenção. Pelo menos no primeiro ano de uso serão realizadas as duas revisões, de 10 mil e 20 mil quilômetros rodado.

Se a opção for por um carro seminovo alguns custos são reduzidos e outros eliminados. Neste caso você perde um pouco menos de dinheiro com a burocracia, já que o carro já foi desvalorizado, já está emplacado e pode até estar com IPVA, DPVAT e licenciamento pagos, senão são estes três custos, além da transferência do veículo junto ao Detran.

No decorrer dos meses a atenção com as manutenções agendadas de acordo com o manual do carro, normalmente duas vezes ao ano, devem ser realizadas periodicamente. Cuidados para evitar o desgaste excessivo do carro também são importantes, assim diminui os custos com assistência e trocas de peças.

No caso de comprar carros usados é fundamental que se faça uma boa revisão já no momento em que se adquire o veículo. Os custos com transferência de documentação, com os impostos e taxas, todos estes valores são devidos no momento da compra. É preciso verificar se o carro tem pendências financeiras ou administrativas, que isso também pode ser um grande prejuízo.

Mês a mês o que se deve colocar na ponta do lápis são os valores gastos com combustível, estacionamento, possíveis multas de trânsito, manutenção de peças. Os carros também geram despesas como limpeza e novos acessórios, que são sempre comuns adquirir com os passar dos meses.

Como economizar nos gastos com o carro

Depois que você teve o gasto inicial de comprar o carro e pagar os impostos, os gastos fixos são com combustível e manutenção do veículo. Levando em consideração que a parcela do carro está quitada ou o automóvel foi comprado à vista, por isso esse valor é excluído da ideia de gastos mensais.

No decorrer dos meses, o que representa o maior gasto com o veículo, é o combustível. Quem roda mais com o carro acaba sempre gastando mais. Algumas contas podem ajudar nesta economia, mas alguns fatores atrapalham nos cálculos, como por exemplo, distância e o engarrafamento.

É impossível calcular a rota e o tempo exato que o carro ficará ligado e em trânsito. Para economizar é importante que o veículo seja o mais econômico possível. Por exemplo, se você tem um carro seminovo que faz 10 km/l e você roda com o carro 50 km em um dia, acreditando que o litro da gasolina custa R$ 4,00, você gastará para fazer o trajeto R$ 20,00. Se colocar no papel, terá gasto R$ 600,00 por mês só para ir e vir.

Diminuir os trajetos, dividir os gastos do combustível com colegas de trabalho, são maneiras de amenizar os custos. Ainda é preciso pensar que cada trajeto realizado gera um desgaste para o veículo e isso vai incorrer em um valor para pagar a manutenção e troca de peças no decorrer dos meses.

Vale a pena ter um carro ?

Um carro é parte de um estilo de vida. Quando se pensa na mobilidade, em poder ir e vir na hora que quiser, o carro é fundamental, já que não precisa depender de nenhum outro meio de transporte. Mas tudo isso tem um preço, se você estiver disposto a arcar com este custo, então o carro é uma excelente opção.

Calcular quanto gastaria em valores e horas para fazer o mesmo trajeto de carro e de ônibus, também pode ajudar na decisão. Se está disposto a ficar horas no ônibus, sem se preocupar com horário, o carro não seria uma opção viável. Mas se o carro foi econômico e o transporte coletivo caro, o automóvel passa a ser novamente uma boa opção.

Andar os trajetos sozinho é sempre mais caro do que compartilhar com os amigos, colegas de trabalho e colegas de faculdade. Se todos vão para o mesmo lugar, porque não se unir e dividir os custos para percorrer o trajeto. Isso deixa o carro mais barato e mais eficaz para todos que vão se utilizar.

Anderson Dias

Acadêmico de Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Técnico em mecânica automotiva pelo Senai-CE e IFCE, certificado Six Sigma Green Belt. Profissional dedicado a área automobilística, com 8 anos de experiência no mercado automotivo, do setor de peças a qualidade em montadoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *