Dicas para um trânsito tranquilo


Crédito foto: http://dmrefletivos.com.br

A pé, de ônibus, carona ou dirigindo… o trânsito faz parte da rotina de todos nós. Mais do que respeitar as cores do semáforo e manter a calma, também é essencial para evitar o stress e até mesmo impedir acidentes. Este artigo serve para dar boas dicas de como agir de forma mais calma e segura.

Pneu furado, um acidente na estrada, semáforo em manutenção, engarrafamento ou até mesmo uma chuva forte são algumas das surpresas que podem alterar de alguma forma a fluidez do trânsito.

Coisas desse tipo provocam atraso e fazem com que as pessoas percam a paciência e busquem possíveis soluções que podem gerar ainda mais stress. Mas então, como tomar atitudes certeiras no trânsito?

Antes de qualquer coisa, é preciso enxergar que o trânsito é um ambiente onde encontramos situações inesperadas. Mesmo que o caminho a ser feito seja conhecido, muitas vezes é preciso ter a capacidade de saber reagir aos imprevistos. É nessa hora que até mesmo as pessoas calmas, podem perder o controle ou agir por impulso por não saber o que fazer.

Além de habilidades no volante, um trânsito seguro depende de bem estar psicológico.

Seguir as normas e manter o controle

O primeiro passo para garantir um trânsito seguro é seguir as regras do Código de Trânsito Brasileiro. Por mais que algumas pessoas considerem apenas gentileza, um comportamento de empatia é fundamental para manter um trânsito seguro.

Dar passagem aos pedestres, não fechar cruzamentos e estacionar em locais apropriados são pequenas atitudes que vão além da obediência às normas, mas que também demonstram que o motorista compreende o trânsito como um espaço coletivo de direitos e deveres.

De acordo com a mais recente pesquisa sobre mortes no trânsito realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o quarto país em mortes no trânsito na América. O índice é o assustador: 23,4 mortes no trânsito para cada 100 mil habitantes.

Além da falta de atenção, a má condição de estradas ou a imprudência que gera acidentes, as brigas encorpam a estatística de mortes no país. O autocontrole em situações de muito stress evita comportamentos e atos violentos.

Uma das formas de exercitar a paciência no trânsito é refletindo que os desgastes são rotineiros e também estão acontecendo com os outros ao redor. É preciso dirigir por si e pensando na possível imprudência ou intolerância dos outros motoristas.

Não se deve dar muita importância para o cruzamento de um motoqueiro apressado ou a buzinada de quem quer ultrapassar. Todos, de uma forma ou de outra, chegarão aos destinos finais. De toda energia que deve ser investida em nossas atividades do dia, as horas ou minutos de stress no trânsito não devem ser prioridades.

Mesmo diante da tentativa de manter-se calmo, é possível que você também cometa erros e se atrapalhe. Caso isso ocorra, não hesite em flexibilizar suas ações ou demonstrar humildade diante de alguém que você prejudicou no trânsito.

Pedir desculpas, por exemplo, muitas vezes encerra um momento de nervosismo que poderia se transformar em uma discussão.

A importância de manter a calma nas possíveis situações que envolvem a convivência no trânsito às vezes é subestimada por condutores e passantes. Pensando nisso, muitas escolas desenvolvem projetos educativos sobre trânsito para mostrar desde cedo esse tipo de valor para as crianças.

Alternativas e estratégias

Outra maneira de encarar os desafios que exigem autocontrole no trânsito é tornar as situações de espera mais produtivas.

Caso você caia em um engarrafamento, esteja bem preparado. Tenha consigo um livro preferido, algum material de estudo ou até mesmo peças para fazer algum tipo de artesanato, por exemplo. O tempo no local deixa de ser “perdido” e ganha outro significado.

Para quem gosta de música, a dica é que a playlist preferida esteja sempre pronta para o play. Ouvir música é uma forma de relaxar, estimular boas lembranças e esquecer a situação de stress.

Uma das causas do trânsito cada vez mais insustentável nas grandes cidades é o aumento frequente da frota cada de carros rodando na rua. O número de automóveis nas metrópoles do país não para de crescer.

Segundo estimativas de um relatório mundial feito pelo Laboratório Francês de Estudos Prospectivos e Cartográficos (Lepac), entre 2001 e 2012, a frota brasileira mais que dobrou, passando de 24 milhões para 50 milhões de veículos. A pesquisa revelou que esse fenômeno não ocorre só no Brasil, mas é um é cenário geral comum nos países emergentes.

Além da maior facilidade para compra de veículos, a outra causa principal desse movimento é a ineficiência do transporte público. Mais carros na rua, mais engarrafamentos.

Muitas pessoas têm feito da carona ou do rodízio do carro entre a família uma alternativa para um trânsito mais tranquilo. A carona entre vizinhos que possuem os mesmos horários de trabalho e se vão para a mesma região, por exemplo, é uma pequena solução para colocar na rua apenas um automóvel em vez de dois.

Além de soluções mais estratégicas como essa, existe o que pode ser chamado de uma “política do bom senso” no trânsito. É essencial que todos colaborem entre si no trânsito. Motoqueiros, caroneiros, motoristas de ônibus, pedestres, taxistas e todos os outros fazem parte da mesma engrenagem que precisa rodar para que o tráfego funcione sem acidentes.

Além disso, vale reforçar todos os ensinamentos aprendidos durante o processo para adquirir a habilitação. Com o tempo, muitos motoristas deixam que práticas do “jeitinho brasileiro” virem hábitos, o que muitas vezes ocasiona em multas.

Dirigindo com responsabilidade

Por último, porém não menos importantes, estão os cuidados com os veículos. Com a vida corrida do dia a dia, muitos motoristas deixam de dar a atenção devida aos veículos que tanto usam.

A manutenção preventiva é a maneira mais econômica de manter o carro em bom estado. Além do maior consumo de combustível e da perda de desempenho, um automóvel que não passa por revisões frequentes coloca seus usuários em risco de acidentes e imprevistos.

Para evitar maiores problemas é necessário que alguns itens sejam revisados periodicamente: Agora, depois de ficar sabendo de todos esses cuidados técnicos, de ordem pessoal e coletiva, não há como errar na tentativa de garantir um trânsito seguro e uma rotina mais tranquila.

Motorista, dê partida e siga em frente!


Acadêmico de Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Técnico em mecânica automotiva pelo Senai-CE e IFCE, certificado Six Sigma Green Belt. Profissional dedicado a área automobilística, com 8 anos de experiência no mercado automotivo, do setor de peças a qualidade em montadoras. Atualmente participa do projeto de extensão Siara Baja da Universidade Federal do Ceará.

Your Turn To Talk

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instagram