Quando os acessórios automotivos não servem para nada.


Crédito foto: connectparts.com.br

Crédito foto: connectparts.com.br

Em toda minha carreira no mercado automotivo eu sempre observei com muita atenção o mercado de acessórios. É incrível a quantidade de acessórios a venda nas concessionárias e autopeças para serem equipados no seu possante. Mais incrível ainda, é como a maioria deles são inúteis, e simplesmente não trazem valor agregado algum ao seu veículo.

Há oito anos atrás, quando iniciei no mercado automotivo, comecei a trabalhar no setor de peças de uma concessionária Renault. E em algumas situações, eu ajudava o vendedor de peças atendendo alguns clientes. Um dia recebi uma cliente proprietária do bom e velho Scenic. Ela desejava comprar o jogo de tapetes de carpete para seu monovolume. Ao pesquisar o item no sistema… Dialogys, verifiquei o tapete era muito mais caro (não lembro o preço) que o convencional feito de borracha. Sem graça, eu informei o preço a cliente, que não ligou muito e efetuou a compra. Nesse momento sai de dentro do Scenic um garoto, correndo e emitindo ruídos pueris. Se debruçou sobre o balcão e fez um verdadeiro cinco por quês* com a sua mãe, parando somente quando esta lhe respondeu por que estava comprando outro tapete para o carro. Ela orgulhosamente exclamou: “Por que é mais chique”.

Renault Scenic, excelente carro. Mas para ficar legal mesmo, tem que por tapetes de carpete. Crédito foto: http://autos.vocedeolhoemtudo.com.br/

Renault Scenic, excelente carro. Mas para ficar legal mesmo, tem que por tapetes de carpete.
Crédito foto: http://autos.vocedeolhoemtudo.com.br/

Mal sabia a cliente, mas o tapete de borracha executava a sua função com o mesmo desempenho do tapete de carpete, com a vantagem de não acumular poeira e ser fácil de limpar. Mas para ela isso padecia a insignificancia, pois o tapete de carpete era mais chique.

acess3Também observei, nessa minha época de estagiário do setor peças, que outros acessórios igualmente inúteis possuíam números de venda interessantíssimos. Um deles, que me lembro bem, era o kit de sport do Sandero. O ano era 2008, o Sandero era um carro recém-lançado da Renault, e mesmo sendo um carro aparentemente muito feio, possuía virtudes muito importantes para o consumidor brasileiro como interior espaçoso e confortável, bom desempenho e baixo consumo de combustível, principalmente na versão com motor 1.6 8v (K7M). Voltando ao kit sport. Eu não entendia por que um acessório tão inútil vendia tanto. Mesmo o Sandero não sendo um show de beleza e design, colocar um jogo de saias laterais e spoilers nos para-choques não iria melhorar em nada seu visual. Mas o pior, o kit sport era aerodinamicamente inútil, não passava de um acessório meramente estético, além de não agregar valor nenhum ao veículo no momento da revenda. Aliás, o único valor agregado pelo kit sport era o de reparo, caso o veículo sofresse um acidente, pois as peças do kit sport precisavam de pintura, além da própria montagem, ou seja, mais gastos com mão-de-obra.

Bastante útil em situações de neblina. Neblina. Crédito foto: Mercado livre.

Bastante útil em situações de neblina. Neblina.
Crédito foto: Mercado livre.

Aqui em Fortaleza/CE, percebi que outro acessório possui incrível popularidade entre os motoristas, o farol de neblina. Mas este, claro, possui bastante utilidade… em neblinas. E aqui no Nordeste brasileiro neblinas não são tão comuns, para não dizer raras. Mas não, o carro tem que ter farol de neblina, e não só isso, o motorista deve andar com a meia-luz e o farol de neblina ligados para dar aquele efeito legal no visual do veículo. Tem que saber charlar. O custo dessa charlação (existe essa palavra?) pode não sair alto logo de cara, pois um kit de faróis de neblina pode ser encontrado por cerca de R$250,00-R$300,00 dependendo do modelo. Mas trata-se também de um acessório, que não suplementa em nada o valor de revenda ao veículo, e também só encarece seu custo de reparação, pois nem todo para-choque dianteiro possui alojamento para os faróis de neblina, ou seja, o para-choque a ser substituído em caso de uma colisão frontal, deixa de ser o básico para ser um com alojamento para o farol de neblina, mais caro e em alguns casos, podendo estar em falta no estoque.

Já imaginou seu Golf com esse faról ? Crédito foto: carrosnaweb.com.br

Já imaginou seu Golf com esse faról ?
Crédito foto: carrosnaweb.com.br

Houve outros casos interessantes tamanha inutilidade dos acessórios que as pessoas compram, e um deles eu observei quando trabalhava de auxiliar mecânico em uma concessionária VW. Os meus colegas da montagem de acessórios estavam trocando os faróis de um Golf 1.6 Plus 2009. Percebi logo de cara que os clientes, pai e filho, eram entusiastas, mas não muito entendidos do assunto. Os faróis do Golf estavam sendo trocados por faróis do Golf GT 2.0, aquele Golf pseudo-esportivo que era apenas um Golf recheado de acessórios e motor 2.0. Este já velho conhecido dos mecânicos do ramo. A diferença entre os faróis do 1.6 Plus e do GT 2.0, era que simplesmente os faróis do Golf 1.6 Plus não possuíam máscara negra, já os do GT 2.0 sim. Nada mais. Mais uma vez, pessoas gastando com acessórios inúteis, que não melhoram em nada o valor do veículo e, ainda por cima, prejudicam o seu bolso no caso de um pequeno acidente ou avaria. Pois os faróis do Golf 1.6 Plus eram cartas marcadas nos estoques, enquanto que os do Golf GT 2.0, além de mais caros, eram pedidos por encomenda e levavam de 8 a 15 dias para chegar.

Aplique para maçaneta do Gol G5. Mas talvez o efeito não seja o mesmo de um maçaneta na cor do veículo. Crédito foto: connectparts.com.br

Aplique para maçaneta do Gol G5. Mas talvez o efeito não seja o mesmo de um maçaneta na cor do veículo.
Crédito foto: connectparts.com.br

Gosto muito de conversar com as pessoas sobre carros, pois tento ver como elas enxergam o automóvel, e devido a essas conversas eu ainda acredito que o automóvel continue sendo um símbolo de consumo mundial. Ao invés do Iphone como muitos dizem hoje… E certa vez, conversando uma amiga, dei os parabéns a ela por ter conquistado (comprado) seu primeiro carro. Um singelo Gol 1.0 2013, branco, com apenas 30.000km rodados no odômetro. Eu mal tinha terminado de falar, e ela já foi respondendo que queria colocar acessórios para deixa-lo mais bonito, como maçanetas na cor do carro, faróis de neblina e outros quitutes sem utilidade alguma. Pois maçanetas na cor preta eram feias, e maçanetas na cor do carro são mais bonitas. Verdade, fato. Então perguntei a ela se ela estava disposta a custear um jogo novo de maçanetas, o serviço de pintura e instalação das quatro novas maçanetas para que seu Gol ficasse bonito. Sejamos verdadeiros, as maçanetas executariam a mesma função, com o mesmo desempenho e durabilidade. Sua cor é algo apenas estético que não afeta em nada a funcionalidade do componente, nem mesmo positivamente. Então por que pagar mais por algo sem necessidade?

Você pode dizer que sou chato, enrascado, revoltado ou algo do tipo. Mas não estou dizendo que você não deve colocar tapetes de carpete, frisos na cor da carroceria ou rodas bbs falsificadas no seu Gol quadrado. Não, de forma alguma. Mas digo isso tudo para que você faça isso e outras algazarras sabendo que seu veículo não terá nenhum valor agregado por ter esses e outros acessórios. Aliás, ele pode ter como valor maior o seu custo de reparação, e esse dói muito no bolso. Pense nisso.

*Técnica muito utilizada nas industrias para identificar problemas. Questiona-se(por que?) os fatos até o momento em que não se obtém mais respostas, ou seja, chega-se a causa raiz.


Auto entusiasta, piloto virtual, técnico em Manutenção e Mecânica Automotiva, estudante de Engenharia Mecânica. Automobilista nato!

Your Turn To Talk

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instagram