O Kart Explicado – Distribuição de Peso


Crédito Foto: dinardokarting Crédito Foto: dinardokarting

Crédito Foto: dinardokarting
Crédito Foto: dinardokarting

De todos os acertos e ajustes do kart, não existe nenhum que seja tão fundamental como a distribuição de peso. Se o kart não possui uma distribuição de peso bem acertada, ele pode até funcionar bem, mas nunca desempenhará o máximo de performance do chassi. Para isso, é realizado um procedimento chamado scaling, que trata-se da medição da massa do kart nos quatro pontos de contato com o solo. Com o scaling feito corretamente alguns problemas como understeer excessivo, diferença de carga entre os pneus e falta de aderência lateral podem ser evitados. Além disso o desempenho do chassi é elevado ao máximo, aproveitando todo seu potencial de torção e flexão, melhorando o seu manejo. A distribuição de peso do kart também pode ser utilizada como um ajuste fino. No entanto, as melhores equipes e marcas de chassi indicam como ponto de partida os seguintes valores:

  • Dianteira: 43%;

  • Traseira: 57%;

  • Esquerda/Direita: 50%/50%.

Utilizando como ajuste fino, procura-se evitar alterações superiores a 3% , o que perturbaria o comportamento do kart, deixando-o com excessivo understeer ou oversteer. Ao adicionar peso na dianteira, obtém-se maior grip na dianteira, melhorando as respostas nas entradas de curvas, enquanto que adicionando peso na traseira, obtém-se maior grip na traseira, melhorando a tração nas saídas de curvas. Outro fator decisivo na hora do scaling é o banco. O banco geralmente é montado seguindo três medidas básicas:

  1. Borda superior da parte traseira do banco até o eixo: 23cm;

    Medida 1 Crédito Foto: photobucket

    Medida 1 – Crédito Foto: photobucket

  2. Distancia mais curta do eixo até o banco: 18cm;

    Medida 2 Crédito Foto: Photobucket

    Medida 2 – Crédito Foto: Photobucket

  3. Borda dianteira do banco para parte dianteira do quadro no lado esquerdo e direito: 58-61cm/60-63cm;

    Medida 3: As setas apontam partem da parte dianteira do banco(que está atrás do painel frontal) até a parte dianteira do quadro. É normal que a medida seja diferente de um lado em relação ao outro. Crédito Foto: mxk

    Medida 3: As setas apontam partem da parte dianteira do banco(que está atrás do painel frontal) até a parte dianteira do quadro. É normal que a medida seja diferente de um lado em relação ao outro.
    Crédito Foto: mxk

  4. Parte superior do volante até a parte superior do assento do banco: 70cm;

    kart-measures5

    Medida 4 – Crédito Foto: mxk

  5. Parte inferior do banco até o chão: 2cm;

    Medida 6 Crédito Foto: Sodikart

    Medida 5 – Crédito Foto: Sodikart

  6. Ponta do assento do banco até o assoalho do kart: 8cm.

    Medida 6 Crédito Foto: Autoblog

    Medida 6
    Crédito Foto: Autoblog

O banco é fixado por, no mínimo, quatro pontos. Desses quatro, dois devem ser ligados diretamente do mancal do rolamento traseiro até a parte superior do banco, e todos os parafusos devem ser apertados com firmeza, sem qualquer folga. Além disso, outro fator que influi bastante no comportamento do kart, e que também está ligado ao banco, chama-se lastro. O lastro é utilizado para adequar o peso do kart ao regulamento das mais diversas categorias do certame, é fixado no banco, e sua posição também possui influencia no grip. Quanto mais alto o lastro for fixado no banco, maior será o grip na traseira do kart, e quanto mais baixo estiver o fixado o lastro, menor será o grip nas rodas traseiras. Mesmo com todas as medidas para um bom posicionamento do banco, a posição pode ser alterada. Mais para frente ou para trás irá refletir no comportamento do kart também. Pode-se mover o banco mais para frente a fim de reduzir o understeer nas entradas de curva, ou para trás reduzindo o oversteer nas saídas de curva.

Scaling – Distribuição de peso do kart:

O procedimento para equalizar a distribuição de peso do kart deve ser feito após outros ajustes, estes são:

  • Caster;

  • Cambagem;

  • Convergência;

  • Altura em relação ao solo;

  • Pressão dos pneus(Pressão de trabalho);

Após isso, dispor de um sistema de balanças eletrônicas de precisão, e uma estrutura precisamente nivelada.

Crédito foto: static.speedwaymotors

Crédito foto: static.speedwaymotors

A utilização de balanças domésticas pode até ajudar, contudo os valores não serão tão precisos, pois ao colocar carga sobre a balança doméstica, esta cede, e a altura do kart muda. Depois de colocar o kart sobre a estrutura com balanças, atentar para:

  • O piloto deve sentar no kart devidamente preparado para uma corrida e ficar imóvel para não gerar valores incorretos;

  • Completar o tanque de combustível

Piloto devidamente equipado(embora na foto não esteja...), tanque abastecido como se fosse correr, pneus calibrados com pressão de trabalho. Não esqueça desse pequenos detalhes para tirar o máximo de precisão da sua medida. Crédito Foto: Nkn

Piloto devidamente equipado(embora na foto não esteja…), tanque abastecido como se fosse correr, pneus calibrados com pressão de trabalho. Não esqueça desse pequenos detalhes para tirar o máximo de precisão da sua medida.
Crédito Foto: Nkn

Após isso, basta aferir os valores obtidos pelas balanças. Caso a dianteira do kart apresente valores diferentes em ambas as rodas, existem duas formas de se corrigir essa diferença. A primeira é a alteração da altura das mangas de eixo(Leia aqui), a segunde é fazendo o “tweak” do chassi. Tweak significa torcer em português. O tweak é relativamente fácil de se fazer, mas é preciso duas pessoas para tal. Depois de aferir que as duas rodas dianteiras estão com pesos diferentes, coloque a roda mais pesada sobre outra roda(deitada) ou objeto rígido que sustente o kart. Então, desça a outra roda dianteira(a mais leve, que ficou no ar), a roda traseira diagonal a respectiva dianteira irá se erguer. Uma segunda pessoa, com as mãos, aplica uma força sobre essa roda traseira de modo a torcer o chassi. Finalmente, coloque o kart sobre as balanças para aferir a distribuição de peso novamente.


Auto entusiasta, piloto virtual, técnico em Manutenção e Mecânica Automotiva, estudante de Engenharia Mecânica. Automobilista nato!

  • Pingback: O Kart Explicado – Funcionamento do Chassi | Carros Infoco ()

  • jurandyr moraes

    Anderson, como seria o comportamento de um kart com motor dianteiro e tração traseira?
    Minha paixão são os carros com tração traseira (bem mais desafiadores para pilotagem).
    O peso do piloto sobre o eixo traseiro, o motor sobre o eixo dianteiro, melhoraria o desempenho? Passaria a exigir mais do piloto? (isso seria “pra lá de bom”).
    Um abraço

Your Turn To Talk

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instagram