Injeção Eletrônica: UCE(ECU) – Unidade de comando eletrônico.

ecu1É o mais importante componente do sistema de Injeção eletrônica, por muitos chamada de cérebro, pois recebe as informações proveniente dos sensores; analisa, compara à parâmetros pré estabelecidos e finalmente, comanda os atuadores para manter o motor em funcionamento sob qualquer condição climática. E acima de tudo, com a melhor eficiência possível.

Basicamente trata-se de um microprocessador que possui duas memórias importantes para o sistema, a memória RAM e a EPROM.ecu2

  • RAM – Random Access Memory/Mémoria de Acesso Aleatório: É uma memória volátil, aqui toda as informações dos sensores e o código de falhas são armazenados. Atualmente só pode ser apagado através do equipamento de diagnóstico, o conhecido Scanner. Via scanner também se obtém acesso ao código de falhas ou via código lampejante.ecu3
  • EPROM – Erasable Programmable Ready Only Memory/Memória Apagável e Programável Só para Leitura: É uma memória não-volátil, nela constam os mapas de injeção do veículo, os parâmetros pré estabelecidos, curvas características bem como os algoritmos de comando de ação da central. Esses parâmetros, mapas e curvas podem ser modificados para alterar o desempenho do veículo.

Como a ECU trabalha:

O sistema de injeção pode ser esquematizado em três partes, os sinais de entrada, processamentos dos sinais e os sinais de comando para os atuadores.
Os sinais de entrada são os captados pelos sensores, são sinais analógicos que variam entre 0 e 5 volts, tensão essa que é estável devido ao regulador de tensão da ECU. Esses sinais não podem ser analisados da forma que saem dos sensores, a ECU só “entende” sinais digitais(010110 – números binários), desta forma um sinal de 0volt ou 5volts é convertido em um sinal digital de 8bits(256 combinações). Para isso, as informações passam pelo Conversor A/D(Analógico/Digital) e logo após são comparadas ao mapa de injeção presente na memória EPROM da central, a partir daí a central compreende a necessidade do motorista e determina os sinais de comando para os atuadores, por exemplo, a quantidade de tempo que os bicos injetores ficaram abertos; o tempo de ignição, enchimento dos cilindros e o torque desejado pelo motorista. Após todo o processamento, a tensão é enviada aos atuadores e estes mantém o motor em funcionamento.

Exemplos de sinais de entrada: Temperatura do ar admitido, Posição da Borboleta de Aceleração, Rotação do motor, Pressão no Coletor de Admissão(Speed Density), Quantidade da Massa de Ar.

Exemplos de sinais de entrada: Temperatura do ar admitido, Posição da Borboleta de Aceleração, Rotação do motor, Pressão no Coletor de Admissão(Speed Density), Quantidade da Massa de Ar.

Veja o exemplo abaixo – Valores hipotéticos.

Ao ligar o veículo pela manhã o sensor MAP rapidamente informa a central a pressão no coletor de admissão, supomos que o valor de tensão enviado a ECU seja de 1,8 volt.
Esse sinal ao passar pelo Conversor A/D será convertido para o número binário 111010, a central compara essa informação com a disponível em seu mapa de injeção e entende que esse valor representa 0,3BAR. Em resposta a este valor está programado o código 100011, que é o pequeno avanço da centelha de ignição.

Quando algo interrompe o perfeito funcionamento do sistema…

ecu4A central também está preparada para falhas, na verdade a central faz de tudo para manter o motor em funcionamento, por isso, quando algo está errado a ECU entra no chamado modo de Emergência.
O modo de emergência entra em ação quando a ECU por algum motivo recebe sinais improváveis ou deixa de receber os sinais de algum sensor. Os valores desses sinais são geralmente extremos, 0 e 5 volts(tensão muito baixa/alta). Quando esta situação acontece a ECU grava um código de avaria na memória(RAM) e imediatamente acende a luz-espia da injeção no painel indicando falha no sistema.
Quando a ECU registra uma avaria no sistema, para manter o motor em funcionamento ela adota uma estratégia chamada Recovery. Recovery é uma estratégia em que a ECU ignora o sinal/deixa de receber o sinal do sensor e passa a adotar um valor já estabelecido na ECU, o motor continua funcionando, mas de forma irregular, as vezes com mistura rica, as vezes com mistura pobre e em caso extremos alguns sistemas chegam a limitar a rotação do motor.

Auto diagnóstico:

ecu5Depois de gravado na memória RAM, o código de avaria só pode ser apagado através do SCANNER, não mais desligando a bateria.
O scanner é um aparelho que torna visível as funções da ECU, nele você pode visualizar a descrição da falha, modificar parâmetros, definir as funções guiadas do veículo, verificar as informações dos sensores enquanto o motor funciona, realizar teste de atuadores e geralmente o scanner de concessionárias permite uma ampla quantidade de configurações. Para realizar tudo isso ele precisa ser conectado no conector de diagnóstico, que tornou-se padrão(OBDII) para todos os veículos.

Nos sistemas de injeção mais antigos existia outra possibilidade de ler o código de avaria, era através do código lampejante. Fazia-se um “jumper” em duas saídas do conector de diagnóstico, então ligada a ignição o código se iniciava. A interpretação do código se dava pela quantidade de piscadas e pelo intervalo entre as sequências. Veja o exemplo abaixo:

PISCA-PISCA-PISCA-PAUSA CURTA-PISCA-PISCA-PISCA-PISCA-PAUSA LONGA

A primeira sequência de piscadas representa a casa das dezenas, e a segunda sequência de piscadas representa a casa das unidades , logo a primeira sequência representa o número 3, e a segunda sequência o número 4. Então obtemos o código de avaria 34. O código acima se repete três vezes até passar para outro código, depois de apresentar todos os códigos, o sistema retorna para o primeiro código e começa a varredura novamente.

Sistemas com essa função: Rochester Multec 700; Delphi Multec EMC, FIC-EEC IV, Bosch Motronic M1.5.2 Turbo e Bosch Motronic M1.5.4.

Auto entusiasta, piloto virtual, técnico em Manutenção e Mecânica Automotiva, estudante de Engenharia Mecânica. Automobilista nato!

  • Pingback: Guia CARROS INFOCO de Injeção Eletrônica | Carros Infoco ()

  • Carlos Gomes

    Olá amigo, me interesso bastante por esse assunto, poderia rever as imagens?
    aqui não aparece.

  • Para todos os carros esse conector da ecu é o mesmo?

    • Olha Thiago, se você estiver falando do conector onde colocamos o Cabo do Scanner, sim ele é padrão. Se for o do ECU literalmente, não. Varia de marca para marca.

  • Como posso saber o resultado desse codigo ? Como saber qual o problema pelo codigo ?

  • Cara eu tenho um Palio Fire 2002, comprei um OBDII e não acho de jeito nenhum onde colocá-lo. Tem ideia de onde é? Obrigado.

  • Ola desculpe reviver o topico, porem minha duvida é a seguinte , tenho um citroen onde o conector da ECU é de 30 pinos e nao o padrao ODB II pois meu carro é 95 e nao 96 de quando o padrao foi oficializado como padrao , sendo issi gostaria de saber se meu carro atraves de um cabo adaptador pode efetuar a leitura via scanes ODB II

    • Ricardo, se existe algum adaptador para o seu carro, eu não sei te informar. Acredito que você conseguirá melhor informação em uma concessionária Citroën da sua cidade. De preferência, aquele que for mais antiga.

  • José Leite M N

    Parabéns pela matéria. Gostaria de saber se a unidade de comando for instalada em um local do motor do carro bem próximo ao coletor de descarga (local o qual tem por regra uma temperatura muito alta – muitas vezes maior que oitenta graus) gera algum tipo de problema ao regular funcionamento da referida unidade?

  • Alguém pode me ajudar tenho um Monza 94, depois de ter levado ele em uma oficina para dar carga na bateria, o carro saiu com um defeito muito chato, descobrimos que o carregador da oficina estava alterado, com 18v, inclusive logo em seguida troquei a bateria, so que o carro na subida perde toda sua força na decida ate a quarta marcha vai embora se engatar a quinta ele começa a morrer, se pisar demais no acelerador ele morre. agradeço alguma ajuda.

  • Gostaria de saber se alguém pode me ajudar, eh que eu estou instalando um kit hidrogênio no meu vectra ano 2000 e no manual fala que eu tenho que ligar um fio no sinal de entrada do módulo de injeção ECU só que eu não sei como fazer isso! Alguém pode me ajudar?

  • MAICON SILVA

    Ola tenho um peugeot 206 ano 2002 e comprei um aparelho OBD2 bluetooth
    Não consigo usar da uma mensagem no app torque “a ECU não esta ligado ligue a ECU do carro “.
    Como ligo a ECU do peugeot 206?

  • Antonio Barbosa

    Bom dia Anderson,este aparelho serve também para suzuki swift 1.0cc ano 93
    pq estou com um problema, dele não querer pegar motor gira mas não funciona
    talvez vc possa me dar uma luz
    aguardo resposta

  • Maicon Silva

    Oi Anderson Dias eu ligo o carro.
    Fica igual. Ligue a eu do carro o que pode ser?
    Se me der teu email posso te mandar foto pra ti ver melhor. Agradeço.

  • Olá pessoal a central do meu honda civic estragou e já procurei por são Paulo Paraná e mato grosso do sul onde more e não consegui nem no Paraguai se alguém souber onde consigo se de outro usado consigo colocar nele ou me passa as informação onde posso consegui por favor presiso de ajuda já não sei oque fazer …. Por favor me ajudem desde já agradesso

    • Emerson, existem empresas especializadas em reparação de Centrais Eletrônicas, basta garimpar na internet. Aliás, tem cursos disso também, e são bastante interessantes…

  • A central do honda civic

  • Alguem sabe o endereço na memoria Eprom da ECU Multec 700 1.8 ou 2.0 Gasolina, onde ta definido o Limitador de corte de RPM? To precisando aumentar de 6000 pra 8000 RPM, pois adaptei a ECU num outro veiculo. Vlw

  • Pingback: Injeção Eletrônica: ECU - Unidade de comando eletrônico ()

  • Hamifrancy Meneses

    Solicitação de Consultoria
    Olá Sr. Anderson Dias td bem?
    Gostei muito do seu artigo sobre o sistema de injeção eletrônica, foi muito instrutivo. Diante disso, gostaria de saber o sr pode dar-me uma orientação sobre problema de consumo excessivo do meu veículo. Sou proprietário de um honda civic XlS 1.8 16 v Automatico 2015, com 5 mil km rodado, que tá fazendo um consumo urbano de 7,5 km/l (medido manualmente), desde janeiro de 2016. Antes ele fazia em torno de 9,5 km/l, no computador de bordo. Em ambas situações sempre usei gasolina comum de posto BR submetido ao programa de controle de qualidade de combustíveis da Petrobras. Esperava um consumo de 8 a 9 km/l.

    Vale ressaltar que esse problema de consumo começou a ocorreu depois que o veículo teve problema de bateria e o serviço de reboque da Honda tentou reativar a bateria fazendo uma chupeta com uma bateria de caminhão (bateria esta com baixa carga), fazendo com que o painel do motorista do meu honda ficasse só osciliando (ascender/apagar). A referida chupeta só funcionou quando técnico do reboque usou a bateria do próprio carro (Fiat uno mile). Entretanto a bateria do meu carro não pegou mais carga e teve ser substituída por uma nova em janeiro de 2016. A partir daí começaram os problemas de consumo. Então levei para a concessionaria para tentar melhorar o consumo, desde fevereiro de 2016. Eles já fizeram regulagem de válvulas, limpeza da sonda de oxigênio, resetaram sem reprogramar o módulo (UCE) e por último substituíram a sonda de oxigênio por uma de um veículo teste drive deles. Contudo, o consumo continua em torno de 7,5 k/l (medido manualmente). Eles me informaram que o scaner na UCE não acusou nenhum erro. Detalhe, o carro fez a última revisão em janeiro de 2016, trocando filtros de ar, olho, combustível e ar-condicionado, bem como troca de óleo. As velas e cabos de velo tem só um 1, 5 ano de uso e o motor não apresenta vazamento em nenhum lugar.

    Diante do exposto gostaria de solicitar-lhe uma consultoria (remunerada) sobre qual seria a causa desse consumo excessivo e qual medida deveria ser adotada para aumentar o desempenho do carro em termos de consumo de combustível.

    Aguardo retorno

    Sr. Hami

  • Bom dia anderson , gostaria de saber algum curso que vc indicaria para conhecer mais a ECU (estou fazendo reparos de circuitos eletrônicos)

  • Pedro Pontello

    Ola eu Necessito de suporte ..
    Tenho uma L200 Hpe .. está com código de falha 00 , uma falha sem especificação.A caminhonete apresenta perca de potencia.Poderia me ajudar a resolver este problema ?

Your Turn To Talk

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instagram