Injeção Eletrônica: Sonda Lambda, monitorando o teor de Oxigênio

lamb1Resumidamente um sistema de injeção eletrônica trabalha recebendo informações dos sensores, comparando essas informações à parâmetros pré estabelecidos e então comandando os atuadores de maneira devida. Por muito tempo tinha-se o controle do que entrava no motor(ar e combustível), mas não do resultado do processo de combustão(os gases de escape), ou seja, o sistema trabalhava no modo que chamamos de Malha aberta(Open-loop mode).
Com a busca da máxima eficiência dos motores, teve-se a necessidade de monitorar o que sai dos escapamentos, então foi criada a Sonda Lambda. Mas antes de destrinchar mais este sensor, precisamos entender o que é mistura e o que é o fator lambda(λ), então vamos lá!

Entendendo a influência da mistura ar/combustível e o fator lambda – λ:

Para que um motor funcione basta que se tenha uma boa quantidade de massa de ar, um pouco de combustível e claro, a centelha da vela de ignição(lembrando que estamos lendo sobre injeção de motores otto!). O motor certamente irá funcionar, mas para que esse motor funcione eficientemente a proporção de ar e combustível deve ser ideal.
Teoricamente a proporção ideal é 14,7:1, ou seja, para 1 kg de combustível é necessário 14,7kg de ar, esta é a que chamamos de Mistura Estequiométrica. A mistura estequiométrica é obtida com o ciclo de informações entre sonda e ECU, quando  a mistura está rica, a ECU reduz a quantidade de combustível, e quando está pobre, aumenta a quantidade de combustível. Repetindo esse processo até que se obtenha a mistura ideal.

O fato é que a proporção da mistura está fortemente ligada ao consumo específico e a performance do Catalisador, logo, economia de combustível e emissão de poluentes. Obtém-se um menor consumo de combustível com excesso de ar(mistura pobre) – até certo ponto – , e maior aproveitamento do catalisador com mistura ideal.
Embora o motor trabalhe a maior parte do tempo buscando a mistura ideal, o sistema varia a proporção da mistura para atender a diferentes situações, como por exemplo partida à frio, desaceleração(cut-off) e plena carga, nestas situações a ECU altera a quantidade de combustível injetada para atender as exigências impostas pelo condutor.

lamb2Tem-se então a importância do fator lambda. Lambda(λ) é o coeficiente de ar, a diferença da massa de ar admitida em relação a massa necessária para a mistura estequiométrica, com isso temos os seguintes relações:

λ=1 – A massa de ar admitida é equivalente a massa de ar necessária para a mistura estequiométrica;
λ<1 – A massa de ar admitida é menor que a massa de ar necessária para a mistura estequiométrica, portanto , chamamos mistura rica;
λ>1 – A massa de admitida é maior que a massa de ar necessária para a mistura estequiométrica, portanto, chamamos mistura pobre.

Parece estranho, mas embora o sistema esteja sempre buscando a mistura ideal de ar e combustível, a variação do λ nos mostra que o termo “mistura ideal” nem sempre é o propício para determinadas situações. O sistema precisa variar a quantidade de ar admitido para mais ou para menos buscando atender as necessidades impostas ao motor.
Analisando o gráfico fica mais fácil de compreender que, não existe valor ideal, e sim o lambda adequando a situação exigida. Para se extrair boa potência sem sacrificar o consumo de combustível, o sistema empobrece levemente a mistura(λ>1), note que a relação ar/combustível já é um pouco maior.
Em velocidade constante e com pouca abertura da borboleta, o sistema busca a relação ideal, contribuindo para melhor o trabalho do catalisador, que possui melhor eficiência quando o motor trabalha com a mistura ideal, e claro, quando atinge sua temperatura de trabalho.
Mas quando a situação exige força total, tudo muda, o sistema passa a trabalhar com a mistura levemente rica para extrair o máximo de potência possível do motor.

O que é Sonda Lambda ?

lamb3Trata-se de um sensor de concentração, neste caso(automóveis), é utilizado para detectar o teor de oxigênio nos gases de escape do motor.

Função da Sonda Lambda:

Detectar a concentração de oxigênio nos gases de escape, compara-la ao ar que está localizado internamente na sonda(Ar de amostragem), e por meio de pulsos elétricos, informar a ECU se há excesso ou falta de oxigênio, para que a mesma faça as devidas alterações na proporção da mistura Ar/Combustível.

Por dentro da Sonda Lambda:

Trata-se de um sensor gerador de sinais, sua ponta sensível é composta de zircônio, e abriga uma pequena quantidade de ar, o chamado Ar de amostragem. Uma camada de platina envolve a ponta sensível interna e externamente.
A sonda é um eletrólito em estado sólido, que quando em temperatura de trabalho(300°c) atraí os íons de oxigênio contidos nos gases de escapamento. Sensível, a sonda possui uma grande facilidade contaminar-se com elementos agressivos contidos no combustível, chumbo é um exemplo, podendo inutilizar o sensor.
Para aumentar a velocidade de resposta da sonda quando o motor está frio, foi introduzida um resistência para aquecer a sonda, uma das formas de percebe-la é pelo  número de fios. A quantidade de fios indica se a mesma possui aterramento na carcaça ou ECU, e se possui resistência de aquecimento.

– 1 Fio: Sem resistência e aterramento na carcaça;
– 2 Fios: Sem resistência e aterramento na ECU;
– 3 Fios: Com resistência e aterramento na carcaça;
– 4 Fios: Com resistência e aterramento na ECU.

Embora seja um gerador de sinais, a sonda lambda possui um sinal fraco em relação a tensão, sua faixa de trabalho é entre 0 e 1 volt, mas se a ECU recebe um sinal extremo(0 ou 1 volt), ela grava um código de avaria na memória. A faixa de trabalho normal da sonda é entre 0,2 a 0,8 milivolts.

Funcionamento da Sonda Lambda:

lamb4Com o motor funcionando, a sonda já começa a enviar sinais para a ECU, o sensor só consegue enviar sinais verdadeiros depois dos 300°c, por isso, a ECU ignora o sinal do sensor até que o motor atinja sua temperatura de funcionamento. Atingida esta, a ECU passa a interpretar o sinal da sonda, que é obtido da seguinte forma:
O zircônio em temperatura de trabalho conduz íons de oxigênio, ou seja, atrai o oxigênio contidos nos gases que fluem pelo escapamento. A diferença de concentração de oxigênio dos gases de escape em relação ao ar amostral contido dentro da sonda gera uma tensão elétrica nos terminais da sonda. Essa tensão é enviada a ECU que interpretará como mistura rica ou pobre, e assim fará as devidas correções.
– Quando a concentração de oxigênio é baixa, caracterizando mistura rica, a tensão enviada pela sonda e alta, λ<1;
– Quando a concentração de oxigênio é alta, caracterizando mistura pobre, a tensão enviada pela sonda é baixa, λ>1;
– Quando  a concentração de oxigênio é igual a concentração do ar amostral, neste caso sendo mistura ideal, a tensão enviada pela sonda gira em torno de 500mV, λ=1.

Interpretação da ECU e o controle em Malha Fechada:

A ECU recebe os sinais do sensor e dependendo destes, enriquece ou empobrece a mistura ar/combustível. Se a ECU recebe um sinal de mistura pobre, ela enriquece a mistura buscando a mistura ideal(λ=1 e 500mV), ultrapassando este valor a ECU, informada pela sonda, empobrece a mistura novamente. O sistema trabalha nesse ciclo, monitorando e corrigindo, sempre buscando a mistura ideal, este ciclo é chamado de Malha Fechada.

Fatores que influem no sinal incorreto da Sonda Lambda:

lamb5Estando no tubo de escapamento do veículo, a sonda está exposta também a qualquer contaminação que o combustível venha a ter, por isso, muitas vezes algumas falhas detectadas não são por defeito na sonda, e sim por fatores que causaram uma concentração fora da faixa de medição da sonda, são elas:

– Gasolina Adulterada: A maior fraqueza do sensor de oxigênio é o contato com o chumbo, ao abastecer com gasolina adulterada, o teor de chumbo pode estar acima do permitido. O chumbo além de reduzir drasticamente a vida útil da sonda, também prejudica componentes do motor nos quais tem contato.

– Mistura excessivamente rica ou pobre: Se por algum motivo o motor está trabalhando com mistura pobre ou rica em excesso, a sonda será prejudicada. Com mistura rica grande parte do combustível não é queimado, causando a contaminação da sonda e o aumento do índice de emissões de poluentes. Mistura pobre em excesso causará um aumento de temperatura considerável na câmara de combustão, os gases com temperatura muito maior prejudicaram a sonda.

– Carbonização: Seja ela seca ou úmida, uma parte do detrito originado das queimas imperfeitas do combustível, ao serem expulsos no tempo de escape, contaminam a sonda interferindo no seu sinal. Saiba mais sobre carbonização.
Pelos motivos acima, se no scanner é indicado sinal de sonda anormal, o correto a ser feito é investigar o porque da sonda enviar esse valor.

Teste da Sonda Lambda:

Simples, de posse de um multímetro, selecione a opção de Tensão, e coloque e a ponta de prova positiva no fio positivo – linha 15 – do sensor, a ponta de prova negativa deve ser colocada no aterramento da sonda, que pode ser na própria carcaça da sonda ou na ECU.
A sonda lambda foi definitiva para completar o controle do sistema de injeção sobre os gases de escape, indiretamente ela ajuda a proteger o Catalisador de compostos agressivos e combustível queimado parcialmente. Comprovada sua eficiência, foi introduzida mais uma sonda ao sistema, esta localiza-se após o catalisador atendendo ao novo padrão OBD-BRII.
O tempo de vida útil deste sensor é indeterminado, mas você pode contribuir para o seu bom funcionamento abastecendo em postos de confiança, realizando a manutenção preventiva no tempo certo e utilizando o óleo especificado pelo fabricante.

 

Anderson Dias

Acadêmico de Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Ceará (UFC), Técnico em mecânica automotiva pelo Senai-CE e IFCE, certificado Six Sigma Green Belt. Profissional dedicado a área automobilística, com 8 anos de experiência no mercado automotivo, do setor de peças a qualidade em montadoras.

50 comentários em “Injeção Eletrônica: Sonda Lambda, monitorando o teor de Oxigênio

  • 06/08/2013 em 3:32 pm
    Permalink

    Muito bom!!!!
    Muito obrigado pelo curso….

    Resposta
  • 04/03/2014 em 9:46 pm
    Permalink

    Olá, o que acontece se colocarmos um extensor na sonda lamba? Ela registrará mistura risca? A finalidade e embobrecer a mistura no veículo!!! Obrigado

    Resposta
  • 25/03/2014 em 11:12 pm
    Permalink

    olá, gostaria de uma ajuda se possível, já fui a várias oficinas e não resolvem o problema. Quando o carro está ligado e está em ponto morto fica oscilando a rotação, principalmente para baixo, querendo morrer, estancar. As vezes a luz amarela da injeção acende e depois apaga. Quando passa o sensor ele acusa que um dos cilindros não está queimando e acusa tambem a sonda lambda. Já troquei velas e cabos, e fiz limpeza dos bicos e do TBI, mas o carro continua com o mesmo problema. O que poderia ser?
    desde já obrigado!!

    Resposta
  • 06/11/2014 em 8:27 pm
    Permalink

    ola boa noite !!! to com um problema com uma COURRIER DA FORD. MOTOR ROCAN ZETEK …1.6
    ela ta contando mistura rica ou mistura pobre e ta ruim para desenvolver na estrada … e quando liga o ar ai sim fica pior … oq devo fazer .??? esse sintomas e por causa da sonda lambda ?

    Resposta
  • 21/11/2014 em 7:36 am
    Permalink

    Bom dia,estou com um problema e não consigo resolver se puderem me ajudar agradeço.
    Estou com um santana ano 97 sistema 1avb ele acelera na marcha lenta e as vezes cai a rotação quase morre como tambem oscila na lenta.
    A sonda esta funcionando perfeitamente oscilando de 0,2 a 0,8mv porém há o parametro de voltagem da sonda e o parametro de fator de correção lambda esse parametro quando motor frio esta em 128 depois de aquecido tem que oscilar entre125 a 131 porém ele cai até 60 ou sobe até 254 se a sonda funciona normal creio que o defeito esta na UCE estou certo? A UCE tambem me da um codigo de falha na UCE 65535.

    Resposta
  • Pingback:A Arte de Dirigir – Dicas para dirigir com eficácia | Carros Infoco

  • 22/01/2015 em 7:55 pm
    Permalink

    Olá amigo queria uma ajuda de vc`s: Eu quando ando com meu carro com a temperatura alta a luz da injeção acende, em alguns momentos me causa uma falha no motor, dando tranco assim quando eu Ex: quebra-mola, primeira e segunda marcha ai passei o scanner e ele acusou dos códigos um é ( 0044 Circuito do aquecedor sensor de oxigênio sensor 3 banco 1 alto) e ( 0144 Circuito do sensor de O2 – Alta voltagem – sensor 3 banco 1); Vc pode me explicar isso obrigado pela genileza.

    Resposta
  • 10/04/2015 em 12:49 am
    Permalink

    Olá amigo queria uma ajuda de voces, tenho um tempra 97 16v, fiz a leitura com um scanner, (desses da china) e a leitura da sonda lambda está em porcentagem e nao em milivolts, como interpretar essa leitura?

    obrigado

    Resposta
  • 29/04/2015 em 11:08 pm
    Permalink

    Completei o tanque e adicionei junto 1/2 litro de óleo 2 tempos para uma limpeza geral como fazia na década de 70 e 80 no tempo do carburador quando não existia a injeção eletrônica como é hoje.
    Sempre fiz isso em diversos carros e nunca tive problema. somente solução como foi o caso com um Honda FIT que de vez em quando dava uma falhada como se o problema fosse na “bomba de combustível”.
    Mas tive problemas nun Hyundai Azeran que, coincidência ou não, após rodar uns 60 km começou a falhar.
    Ao “passar o aparelho” acusou problema nas duas lambdas tendo sido sugerido abastecer com Gasolina Podium que não resolveu o problema mas que após esse abastecimento somente a sonda lambda que fica antes do “escapamento/catalsador” continuou a dar problema.
    A adição de óleo 2 tempos no combustível pode danificar a sonda lambda ?
    Se a sonda lambda se presta a fazer “a leitura do oxigênio” e dar a resposta para a Central após consumir todo o combustível com a adição do óleo 2Tempos com novo abastecimento por qual razão continuaria com problema sendo que não há nenhuma luz acusando problemas no painel do carro ?
    Aguardo resposta.
    Saudações,
    Rick

    Resposta
  • Pingback:Detalhes do Cabeçote para Motores Otto Automotivos | Carros Infoco

  • 04/11/2015 em 7:57 am
    Permalink

    Possuo uma fazer 150 e ela está fazendo 30km/l na gasolina aditivada. Já conversei com alguns donos de fazer 150 e eles me disseram que este consumo eles fazem no alcool. Já levei na concessionária 2x mas o mecânico disse que passou o rastreador e não acusou nada. O que pode ser?
    O posto onde abasteço é de confiança pois meus amigos fazem uma boa média na moto deles e eles andam com uma tocada bem mais forte.

    Resposta
    • 04/11/2015 em 10:53 pm
      Permalink

      Wagner, não sou muito… aprofundado em motociclismo, mas a mecânica é parecida. Então, eu acho que sua moto está normal… seu amigos que devem estar “medindo” o consumo errado… O que não é muito difícil de acontecer.

      Resposta
  • 28/12/2015 em 10:21 am
    Permalink

    bom dia amigo! gostei do que li, mas preciso de uma consulta técnica, por favor, meu carro e um golf 00/01 quando ligo ele de manhã ou até mesmo quando forço a aceleração carro de primeira marcha pra subir um morro por exemplo, ele solta um cheiro de combustivel é muito forte. já troquei as velas, cabos de velas, sonda lambada, mas recentemente descobrir que o antigo dono retirou o catalizador do mesmo…será isso o problema do cheiro?
    obrigado

    Resposta
    • 29/12/2015 em 7:32 am
      Permalink

      O que você trocou nada tem a ver com o problema.

      Seria importante verificar o sistema de Canister do seu carro, é provável que haja algum problema com ele.

      Resposta
  • 14/02/2016 em 3:16 pm
    Permalink

    Ola, gostaria de saber ate quantos volts posso colocar na sonda, pois ela trabalha com 1volts, posso colocar 2 ?

    Resposta
  • 19/02/2016 em 9:08 am
    Permalink

    Tenho um passat alemão 2.8 v6 30v ele não deixa passar dos 80km hora e dá sinal e perigo e corta a velocidade.

    Resposta
    • 19/02/2016 em 5:42 pm
      Permalink

      A ECU dele está detectando algo de errado, e ta cortando o funcionamento para preservar o motor, simples.

      Resposta
  • 03/03/2016 em 1:36 pm
    Permalink

    Amigos boa tarde no meu palio 2000 2001 fire O sensor o2, dar incompleto e a ressistencia sensor o2 completo. O que pode ser? Nao apresenta falha do codigo

    Resposta
  • 08/03/2016 em 12:36 pm
    Permalink

    Boa tarde, tenho um corsa c 1.0 12v e ele ligou a luz da injeção e acusa mistura pobre no scanner.
    Acontece que o carro funciona perfeitamente normal e no teste de gases passou com um co2 normal.
    A única irregularidade que noto no carro é pequenas falhas quando abre o termostato e segundos depois passa.
    Os mecânicos dizem que o carro não tem nada, mas a luz liga de forma permanente e já não sei o que fazer.
    Obrigado

    Resposta
  • 20/03/2016 em 11:02 pm
    Permalink

    qual a funçao do extensor da sonda lambda tenho uma fazer 250 2008 e quero colocar um kit gerador de hidrogenio completo ai em uma consulta vi que uma pessoa com a mesma moto tem o extensor da sonda lamba mesmo assim a moto moorre em baixa marcha e é vecessario instanlar o gerencia dor de efi. mas nao entendi a funçao do extensor de sonda lambda alguem sabe me dizer?

    Resposta
    • 09/10/2016 em 12:49 pm
      Permalink

      Boa tarde… o prolongador *engana* a leitura da sonda…quanto ao motor morrer na marcha lenta, pode ser excesso de gás, aconselho uma válvula para regular a saída do hidrogênio, acoplada ao cabo do acelerador.

      Resposta
  • 01/05/2016 em 12:10 pm
    Permalink

    sonda tem aver com partida fria gol 1.0 2005 8 v.

    Resposta
  • 02/06/2016 em 1:50 pm
    Permalink

    A luz da injeção do meu carro so fica acesa , ja rastreie não deu nada, já toquei os sensores de borboleta e de rotação e não adiantou.
    O problema pode ser a sonda lambda ? Um siena fire 2003

    Resposta
  • 03/06/2016 em 6:35 pm
    Permalink

    To com um problema em um prisma 2012
    A luz da injeçao esta sempre acesa, levei no mecanico e detectou problema na sonda lambda. Troquei a mesma e ele excluiu o historico no scanner, mas novamente a luz acendeu e o carro tá consumindo bastante… O que pode ser? Enchi o tanque duas vezes em postos diferentes e o problema permanece. Troquei TODOS os filtros do carro, vela, cabo de vela e nada da luz apagar e o carro consumir menos. Ele faz 8, 8.5 por litro… Normal seria no minimo 10. E ao examinar melhor a sonda com o scanner um sensor fica variando a leitura da sonda (rica/pobre) e o outro sempre pobre. Seria a gasolina de dois postos diferentes ruim? Ou tem algo no tanque de gasolina e teria que esvaziar e lavá-lo?

    Resposta
    • 10/06/2016 em 7:28 am
      Permalink

      Eduardo, como anda o seu sistema de arrefecimento ? As trocas de óleo, estão em dia ? Seu filtro de combustível é trocado periodicamente ? Peça para o mecânico parar de se apoiar no scanner, já foi percebido que a sonda está detectando algo de errado, agora é analisar de onde pode estar vindo o problema.
      Pode ser gasolina adulterada, sim. Mas nesse caso, acredito que deveriam haver outro sintomas.

      Resposta
      • 17/06/2016 em 6:48 pm
        Permalink

        Oi Anderson. Sim, troquei tudo no carro não faz nem 1000 km, oleo, filtro de oleo, filtro de combustível, líquido de arrefecimento… Em marcha lenta o carro da meio que umas travadinhas (tipo um coice), fora isso nada de diferente alem do gasto de combustivel. Pega de primeira, não falha, motor silencioso…

        Resposta
  • 03/07/2016 em 10:52 pm
    Permalink

    Olá, coloquei filtro esportivo com intake direto na TBI e tirei o catalizador. Acendeu a luz de injeção. Preciso reprogramar a central pra injetar mais gasolina e a mistura ficar ideal ou existe outro modo para que a luz não fica acessa? possuo um gol g6 2014.

    Resposta
    • 04/07/2016 em 11:51 am
      Permalink

      Ivan, se não me engano esse modelo do já possui duas sondas lambdas, um pré e outra pós catalisador. A retirada do catalisador certamente deve estar gerando essa falha que você cita. Não acredito que o filtro esteja afetando tanto os valores lidos pelo MAP…

      Resposta
  • 07/08/2016 em 11:52 pm
    Permalink

    Olá tenho um gol g6 1.0 13/14 , a luz da injeção acende e da código p0133 e as vezes p0144 , o mecânico disse que era a sonda lambda,troquei a mesma e o problema continuou e coloquei produto no combustível pra limpar o sistema mas não adiantou nada uso gasolina,o que poderia ser, e ele falha em alta rotação, seria bomba de combustível?

    Resposta
  • 13/08/2016 em 3:13 pm
    Permalink

    Oi,
    Obrigada pelo artigo. Tenho uma pergunta: acabamos de trocar o escapamento inteiro do meu carro (toyota rav4 2002 – 265000KM) e os codigos de erro P0420 e P0430 comecaram a aparecer. O catalisador foi trocado ano passado, por conta dos mesmos codigos de erros, e o carro vinha rodando sem problemas, MAs dai o escapamento, que ainda era o original, precisou ser trocado. Sera que o escapamento novo esta gerando esses codigos?

    Resposta
  • 01/10/2016 em 4:13 pm
    Permalink

    Muito bom o artigo.
    É possível manter o fator lambda estável em um motor bicombustível (Flex)? Se sim, como? Se não, por quê?

    Resposta
  • 24/10/2016 em 2:43 pm
    Permalink

    Olá amigo.
    Analisando seu artigo e comparando com a acompanhamento do carro, um gol g5 1.0, que faço com o OBD ELM 327 e app TORQUE pro, percebo a que informação da sonda lambda captada pelo sensor deixa o ponteiro maluco, ou seja não se estabiliza, isso é normal?
    Confesso que estou em busca de respostas para saber por esse meu carro só faz 7 km/l.

    Resposta
  • 25/10/2016 em 1:16 pm
    Permalink

    *** “Teoricamente a proporção ideal é 14,7:1, ou seja, para 1 kg de combustível é necessário 14,7kg de ar ”
    Esta parte só é valida se estivermos falando em gasolina pura. Se tiver mistura de Etanol (e a brasileira tem 27%) já muda para menos. Para Etanol puro é em torno de 9,5:1. O que não muda é o fator lâmbda, sendo sempre 1.00 para mistura estequiométrica, independentemente do combustível.

    Resposta
  • 08/01/2017 em 4:29 pm
    Permalink

    Boa tarde, cara tenho uma Meriva joy 2005 que acusa direto luz da injeção no painel, já troquei a sonda e ficou uns 2 meses sem dar problema, mas neste últimos dias fica só ligando, dai desconecto ela do chicote e depois normaliza, mas sempre volta a dar problema, isso acontece com ela fria, de manhã sempre, já testei a corrente da sonda e está funcionando(oscilando a voltagem), li em alguns fóruns que pode ser problema de aterramento, mas a sonda tem 4 fios no caso é aterrada na ECU como mencionaste acima, tu concorda que poderia ser problema de aterramento?já viu problema parecido? vi no carro que o único aterramento que sai da bateria é o original, aconselha a colocar um auxiliar de aterramento?
    Bom te agradeço desde já pelas dicas e se puder ajudar te agradeço.

    Resposta
  • 16/01/2017 em 9:29 am
    Permalink

    Bom dia, tenho uma montana modelo 2015 luz da injeção acesa, passei o scanner, acusou cód. 132 e 134, sonda lambda.
    minha dúvida a 1ª sonda lambda e a 2ª sonda lambda são modelos iguais?

    Resposta
  • 23/01/2017 em 10:24 pm
    Permalink

    Boa noite, tenho um corsa GL 95, 1.4… Meu carro fica oscilando o rpm tanto pra baixo (chega a 150-200 rpm) quanto pra cima( chegando a 2300 rpm), já passei rastreador mas n acusa nada, um dos mecânicos alegou central, tenho medo de trocar e só gastar dinheiro, alguém tem outra dica?? O mesmo quando liga, qlqr hora, fica falhando, não chega a desligar, só falha… Não sei mais oq fazer…????

    Resposta
  • 07/02/2017 em 9:34 am
    Permalink

    Parabens pelo conteúdo, muito útil

    Resposta
  • 21/08/2017 em 2:24 pm
    Permalink

    Boa tarde?
    Tenho um Fiat uno 2004/05. Já algum tempo ele entrou no modo recovery. Ao fazer o teste com scanner constou sonda lâmbida. Tentei em várias mecânicas e nada. Troquei a sonda, foi zerado o erro no scanner e quando liguei o carro, 2 minutos depois, a luz de injeção acendeu novamente constando o mesmo erro. Ressalto aqui que nas primeiras vezes, antes da troca da sonda, constou também no scanner problema com o cânister. Mas esse não foi trocado e quando resetado o scanner parou de aparecer. Alguém poderia me ajudar?

    Resposta
  • 08/09/2017 em 3:52 pm
    Permalink

    meu amigo tenho vectra 2.0 16v 1998 automatico,ja fizemos de tudo troca de velas cabos e inclusive foi feito motor mas so trabalha com mistura rica na falha 0045-mistura rica empobrecimento inativo,tem como voce me dar alguma dica desde meus agradecimentos

    Resposta
  • 08/12/2017 em 5:43 pm
    Permalink

    Amigo tenho um astra 2011, ja troquei a sonda lambda 3 vezes coloquei a sonda original gm 94702172, porem virei pra gasolina, a sonda faz a leitura chega em uns 875 milivolts, mantem por algum tempo quando o modulo quando o modulo faz a leitura para empobrecer a mistura melhorando o tempo de injeção, ele chega a ocilar a lenta, no escaner da codigo sinal de sonda lento, pode ta relacionado ao modulo, ou ao catalizador , rendimento no alcool 9,2 na gasolina 13,2 cabos de velas novos velas trocadas recentemente

    Resposta
    • 11/12/2017 em 11:49 am
      Permalink

      Mauricio, tenta verificar como está o chicote e o conector da sonda. Seria interessante verificar a resistência do chicote, também.
      Eu colocaria a ECU para um técnico especializado verificar.

      Resposta
  • 27/12/2017 em 7:28 pm
    Permalink

    Boa noite, gostaria de uma ajuda, tenho um carro Ford Ka ano 2000 que liga perfeitamente porém não desenvolve e fica falhando muito. Já levei a vários mecânicos e um disse que era a central porém não era, outro disse que era a sonda lambda troquei e continua do mesmo jeito e quando passei o rastreador aparece combustão rica. É esta fumaçando um pouco. Outro mecânico disse que era o motor porém mesmo que estivesse com o motor batido ele ainda andaria e ele não quer nem sair do local. O que pode ser alguém tem alguma idéia?

    Resposta
    • 02/01/2018 em 12:56 pm
      Permalink

      Rejane, pode ser muitas coisas. Todos os diagnósticos podem estar corretos rsrs… Acredito que devem ser feitos testes para levantar as possíveis causas, pois no fundo, pode ser um simples bico injetor travado aberto. Não deixe que executem serviços no seu carro se não passarem a você um diagnóstico bem detalhado.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *