Eixo de Torção: Dos anos 30 até Atualmente

torç1A maioria dos carros nacionais se utiliza de um conceito simples de suspensão aplicado no eixo traseiro. Trata-se do Eixo de torção, uma barra cruciforme (em forma de H, se vista de cima.) onde suas pontas estão ligadas ao chassi e as rodas,  e a seção reta se torce absorvendo as irregularidades da superfície.

Veja um pouco da história dessa tecnologia.

No início dos anos 30 a Tatra Cars já utilizava o eixo de torção desenvolvido por Hans Ledwinka em seus carros com motor traseiro refrigerado a ar. Nessa mesma época os protótipos do VW Beetle (Fusca.) já rodavam com suspensão eixo de torção montada na dianteira influenciada pela suspensão usada nos carros da Tatra. O sistema de Ledwinka foi uma grande influência para o Porsche Kdf – Wagen de 1938 (conhecido hoje como Fusca.). O que resultou numa briga judicial entre as duas marcas, sendo a Tatra Cars a vencendora em 1961. No entanto, não foi nem com a Tatra e nem com a Volkswagen que o eixo de torção se mostrou uma solução eficiente.
Também no começo dessa mesma década, mais precisamente em 1931 nascia o projeto do carro que iria revolucionar pela sua tecnologia, o Citroen 7/11 (Traction Avant.).

 

torç2Projetado por André Lefèbvre e inicialmente chamado de Petite Voiture (Pequenos carros, em Frances.) era um projeto de um carro pequeno de duas portas, motor dianteiro e tração dianteira (por isso Traction Avant.). Em 18 de Setembro de 1934 era lançado o Citroen 7A, um pouco maior que o modelo projetado, que era duas portas e passou a ter quatro portas, de carroceria monobloco, motor com pistões lubrificados e posição dianteira (cambio também na dianteira.), tração dianteira e suspensão dianteira independente de braços sobrepostos e traseira eixo de torção.

torç3O eixo de torção foi à luta na segunda guerra mundial equipando os veículos militares depois encontrou seu espaço em diversos veículos europeus. Finalmente 25 de Julho de 1957 o Traction Avant saia de linha, mas para o eixo de torção era apenas o começo de sua jornada. Diversas marcas européias passaram a adotar o conjunto motor dianteiro, tração dianteira e eixo de torção na traseira. .

 

O eixo de torção também equipou carros americanos como o Packard e diversos modelos da Chrisler. Packard e Chrisler desenvolveram sistemas distintos, a Chrisler  utilizando esse conceito na dianteira, e o Packard teve o eixo de torção nos dois eixos e interligados com o objetivo de melhorar o conforto do veículo.

A General Motors também aplicou a configuração em seus carros, começando em 1966, veículos como Oldsmobile Toronado e Cadillac Eldorado que utilizavam a chamada E – platform (E – Platform foi utilizada de 1963 até 2002 ou com tração traseira, ou com tração dianteira.), a picape S10 também foi adepta do eixo de torção, e a série GMT400, GMT800 e GMT 900 utilizam o sistema desde 1988

torç4Atualmente, o eixo de torção ainda equipa diversos carros (seja qual for o mercado.), na maioria compactos, porém sedans médios, pequenos furgões de carga e picapes pequenas também se valem das vantagens desse sistema. A combinação do eixo de torção com motor e tração dianteiros resultou em um conjunto eficiente e barato, tornou – se um símbolo de eficiência a baixo custo.

Auto entusiasta, piloto virtual, técnico em Manutenção e Mecânica Automotiva, estudante de Engenharia Mecânica. Automobilista nato!

  • Paulo César

    Boa noite Anderson,
    qual seria o objetivo do eixo de torção na suspensão dos veículos?
    att.,
    Paulo César

Your Turn To Talk

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instagram