Tudo que você precisa saber sobre Micrômetro:

micro1O Micrômetro é o segundo instrumento mais utilizado em oficinas automotivas, é ainda mais preciso que o Paquímetro, sua resolução é de 0,001 milímetros. Pode-se realizar medições lineares, internas, externas e de profundidade, diferente do paquímetro universal, existem alguns tipos específicos de micrômetros, sendo o mais comum o micrômetro externo.

Tipos:

– Micrômetro Externo(convencional);
– Micrômetro Interno(De haste, dois e três contatos.);
– Micrômetros de Aplicações Específicas: Profundidade, altura, arco profundo, cilindros, braile, engrenagens, perfis, tubos, com batente em V, rosca (com apalpadores intercambiáveis e com arames calibradores.).

Aplicações:micro2

– Medições externas;
– Medições de profundidade;
– Medição de altura;
– Medição interna: Dois contatos simples e com hastes longas, e três contatos;
– Medição de rosca: Micrômetro especial e comum três arames;
– Medição de fundos ou perfis;
– Medição de materiais flexíveis;
– Medição de dentes de engrenagens.

Principio do parafuso de medição:

Embora o cálculo de suas medidas sejam semelhantes as do paquímetro, o micrômetro utiliza um principio diferente para medir. Neste caso a medição é realizada pelo deslocamento de um parafuso micrométrico no sentido longitudinal por uma rosca regulável, que realiza um movimento relativo de um passo a cada volta completa. A volta completa é subdividida pelos traços do tambor(O tambor está ligado ao parafuso.). No micrômetro esse movimento se traduz na variação da distância entre as duas superfícies de medição.

Componentes:
micro4

– Arco(Frame): Feito de aço forjado ou ferro fundido nodular, seu acabamento é com tinta protetora e isolante à corrosão, fixado no arco está o isolante térmico(thermal insulator) que é onde o micrômetro deve ser manuseado;
– Haste Móve(spindle)l: É de fato o parafuso micrométrico, seu passo é normalmente de 0,5mm ou 1mm. Tanto haste móvel como a fixa são feitas de aço temperado envelhecido, aço liga ou aço inoxidável, devem ser resistentes à corrosão e duros, sua dureza deve ser de no mínimo 750HV. A ponta da haste móvel fará contato com o componente a ser medido, feita em metal duro e lapidadas;
– Tambor(thimble): Fixo ao parafuso micrométrico, possui uma graduação que subdivide seu passo de volta. Geralmente 50 ou 100 divisões são marcadas, representando cada uma 0,01mm;As marcações possuem no mínimo 0,8mm de distância entre elas, sua espessura está entre 0,08 e 0,2mm. Existem também tambores chanfrados, o ângulo do chanfro está entre 10 e 20 graus e a distância entre o tubo graduado e as marcações tambor deve ser de no mínimo 0,4mm;
– Tubo Graduado(sleeve): É por onde o tambor se desloca, as marcações possuem a mesma espessura dos traços do tambor. As marcações do tubo estão na parte superior e inferior da linha de referência(linha central.), geralmente são traços retos, mas já é comum encontrar os traços superiores inclinados, pois facilitam a leitura pelo fato de ser mais fácil a identificação dos traços de milímetros e de meios milímetros. Para medidas ainda mais precisas, tubo também pode conter um nônio, e então o instrumento passa a ter resolução ainda menor, 1μm.Deve ser cromado para proteger contra agentes químicos(suor, óleo e etc.), embora cromados são opacos para facilitar a leitura;
– Trava(lock lever): O micrômetro pode ser travado a qualquer momento, o objetivo é impedir a movimentação da haste depois de realizada a medida, sua tolerância é de 0,002mm a mais na medida;
– Catraca(ratchet stop): A catraca é um dispositivo de segurança, ela evita que depois estar em contato com a peça o usuário exerça um aperto excessivo. Sua força de acionamento é entre 5 e 10N;
– Plaquetas: As plaquetas fixadas no arco informam a resolução, range e o fabricante.

Utilizando e calculando:

 

Requer um pouco mais de suavidade no manuseio por ser mais preciso, certifique-se de que as pontas das hastes móveis estejam limpas. Tome cuidado quando estiver medindo a peça, aproxime a haste móvel suavemente, evite aproximar rápido e com pancadas, além de mensurar incorretamente, desgastará o equipamento. Se puder, trabalhe com a base de fixação, isso evita a necessidade de segurar o instrumento com a mão e transferir calor para o mesmo, além de ser mais confortável. A temperatura de medição é de 20º, para peça e instrumento, então procure trabalhar em locais climatizados, caso contrário você terá mais cálculos para fazer, pois terá que compensar o efeito da dilatação térmica e adicionar ao valor obtido. Depois do contato com a peça, dê dois ou quatro toques(suaves!) na catraca, verifique se as superfícies estão totalmente em contato, muitas vezes pequenos erros de medição são gerados por uma leve falta de contato entre a peça e a superfície da haste móvel; então trave o instrumento e afira a medição.

Hora de medir! Evite os erros de Paralaxe, procure sempre visualizar a medida perpendicularmente. Para calcular o valor o princípio é simples, verifique até aonde o tambor se deslocou, o primeiro valor que vier atrás do tambor é o inteiro. Passando para as divisões do tambor, verifique a medida que estiver mais próxima do zero do tubo de medição.  Depois disso some os valores. Confira o pequeno exemplo abaixo:

 

micro3Veja, o primeiro número atrás do tambor é 15,50mm(perceba que o traço vertical já aparece totalmente.), e o número que coincide com o zero é o 0,06. Some 15,50mm à 0,06mm, pronto está aferida a medida.

Caso o micrômetro possua Vernier, procure a medida do vernier que coincide com o tambor e adicione ao valor encontrado. Lembre-se no vernier a medida é em milésimos de milímetro.

Auto entusiasta, piloto virtual, técnico em Manutenção e Mecânica Automotiva, estudante de Engenharia Mecânica. Automobilista nato!

Your Turn To Talk

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Instagram